22 novembro, 2010

sinto fome do seu gosto
e uma urgência de passar-lhe tudo que andou camuflado.
não desejo fingir ser, não sendo.


quero a liberdade de sermos mais nós.

4 comentários:

  1. A-do-rei, principalmente o último verso! Seguindo (:

    ResponderExcluir
  2. "Ser-me. Essencialmente, ser-me!"
    Muito bom. Tornei-me um seguidor, obviamente!

    ResponderExcluir